Pessoas na Iluminação: Phil Gray

Phil Gray - Head of Strategic Sales - Urbis Schréder
Phil Gray
Head of Strategic Sales - Urbis Schréder

As empresas são definidas pelas pessoas que trabalham para elas: há mais de um século que a Schréder tem estado na vanguarda da iluminação graças aos seus colaboradores em todo o mundo. Ao longo de 2021 vamos focar-nos nas pessoas que fazem da Schréder o que é, incluindo o seu percurso profissional, projetos históricos e os seus pensamentos sobre o rumo da iluminação a seguir.

Phil Gray é Head of Strategic Sales na Urbis Schréder no Reino Unido. Há quase 30 anos na empresa, ajudou a repensar a forma como as cidades britânicas são iluminadas, trabalhando em tudo, desde reimaginar praças de Londres até à iluminação cénica de estruturas de referência em todo o país e não só.

Não planeei trabalhar para a Schréder... 

Estava envolvido na gestão de uma empresa de minimização de resíduos: íamos a um espaço de trabalho e em vez de nos livrarmos apenas dos resíduos, trabalhávamos com o cliente para minimizar os resíduos criados e éramos pagos com base nas poupanças que fariam. É um modelo semelhante a muitas empresas de economia circular agora, mas foi muito antes do seu tempo. Era algo que me apaixonava na altura, e ainda me sinto apaixonado agora.
 

Oferecemos uma solução, não um produto... 

Temos a capacidade de personalizar a metalomecânica. Isso é importante porque pode oferecer uma solução para o cliente que é holística. 

Porque é que alguém que está a gastar muito dinheiro num projeto de design aceitaria algo que foi feito em outro lugar? Porque querem a sua marca.

.

Ao redesenhar a metalomecânica, colocando novas formas, novas ideias, pode transformá-la em algo que realmente combina com o seu ambiente.
 

A iluminação pode transformar uma área... 

A LB  Southwark,  envolveu  artistas como Zandra Rhodes e Antony Gormley para  trabalhar  na  regeneração da área: há postes com suportes curvos, estruturas inspiradas em flores, há instalações interessantes em torno de Peckham  e Dulwich.   
Nós trabalhámos na King Street em Hammersmith, onde tivemos que fazer o espaçamento entre colunas de iluminação parecer uniforme, mesmo que não seja uma largura de via uniforme. Foi um enorme desafio logístico colocar fisicamente as colunas no solo, também, porque são muitos os serviços que correm ao longo da estrada. O resultado final acabou por ser impressionante. A Lyric Square em Hammersmith é outra instalação realmente excitante e inovadora de que me orgulho pessoalmente.

The bespoke urban lighting for Lyric Square in London is one of Phil's favourite projects


Não tem de ser o projeto mais decorativo para se destacar... 

Transformámos áreas que as pessoas não usariam à noite.

Coloca-se a iluminação certa no lugar e pode mudar completamente o uso desse espaço. Trata-se realmente de fornecer uma solução que se enquadre nas exigências das pessoas e que melhore o seu ambiente.

.

O meu papel tem evoluído ao longo dos anos... 

Antes de assumir um cargo nacional tornei-me Diretor Regional enquanto a minha família crescia. É uma boa carreira para se ter, porque se trabalha muito mas há um bom grau de flexibilidade e variedade. Muitas coisas têm de ser feitas à noite, porque tens de ver o efeito no escuro, por isso estás lá fora às 11 da noite para fazeres o que for preciso - mas tens a oportunidade de ver como o projeto vai ficar e fazer os ajustes necessários. 
 

Assim como a indústria... 

Os clientes, o público, mudaram. Onde os engenheiros de iluminação eram proeminentes naquela época é agora muito mais uma parceria entre os especificadores das consultorias, os designers independentes de iluminação e os Engenheiros de Iluminação, todos têm muitos inputs e é fundamental a envolvência entre todos. Os grupos de conservação locais também podem ter uma enorme influência e as suas opiniões são importante. E a tecnologia mudou massivamente, passámos de sódio de baixa-pressão para sódio de alta pressão e daqui para os LED: se estivéssemos parados, simplesmente estávamos fora do negócio.
 

A próxima renovação será a iluminação como uma plataforma digital... 

Para liderar, temos de inovar e o espaço onde as coisas estão a acontecer é o campo dos serviços digitais. Muitas áreas já se atualizaram para iluminação LED. 
Não é possível voltar a fazer o mesmo nível de poupança de energia, por isso, como podemos melhorar isso? É uma questão de incorporar uma solução conectada. Se temos uma plataforma de gestão como a Schréder EXEDRA, como podemos pôr isso em jogo para criar mais valia para os clientes com esse sistema? Fazendo coisas que estão para além da iluminação.
 

Trata-se de falar com as pessoas para descobrir o que realmente querem...

e ser capaz de oferecer-lhes uma solução para esse problema. Querem poupar energia, recolher dados para fornecer algo às pessoas, para medir a pegada? Trata-se de mudar o retorno. Por exemplo,  a poluição atmosférica é uma questão enorme para Londres. Se existirem sensores de poluição no local, por que não usar um  SHUFFLE  como um indicador com um anel vermelho ou verde para mostrar como estão os níveis relativos de poluição.
 

Estou mais orgulhoso de... 

a nossa resposta coronavírus: a segurança tem sido a coisa mais importante e, no que me diz respeito, a forma como o negócio reagiu tem sido exemplar. Tem havido um diálogo constante que tem garantido que todos estão bem, quer em termos de saúde física quer em termos de saúde mental, e que permitiu que as coisas continuem a progredir. Fechámos as fábricas para garantir que eram COVID Safe, e temos um grande apoio enquanto trabalhamos em casa.
 

Um facto bónus: dei o nome a uma luminária, a AXIA... 

Inicialmente desenhámos  e produzimos esta luminária  especificamente para o mercado do Reino Unido, e foi vendida massivamente. Todos os outros produtos terminavam com um "O" e queríamos uma mudança, por isso tirei o dicionário e comecei a pensar! É típico da empresa fazermos todo o processo de naming e lançamento em casa.