Deslocações em bicicleta? A iluminação é um incentivo!

Jean Luc Lambert - Schréder Urban Deco Business Segment Manager
Jean-Luc Lambert
Urban Deco Business Segment Manager

É impossível exagerar o quanto o mundo mudou desde o início deste ano. À medida que todos nos adaptamos ao novo normal, os urbanistas enfrentam uma série de desafios. Os cidadãos querem regressar gradualmente ao trabalho, ver amigos e divertir-se enquanto se mantêm seguros, mas isso significa uma capacidade restrita nos transportes públicos, ou engarrafamentos se, em vez disso, essas viagens forem feitas de carro. Uma grande resposta a estas questões já existe há séculos: a bicicleta.

Para se ter uma ideia da escala deste fenómeno, a empresa escocesa de bicicletas Shand Cycles encomendou uma sondagem que mostrou que, no Reino Unido, mais de uma em cada seis pessoas está a considerar trocar o carro, comboio ou autocarro pela bicicleta. A sondagem revelou que 17% dos trabalhadores pendulares estão mais propensos a deslocar-se de bicicleta para o trabalho após a pandemia. Se todos eles o fizerem, só no Reino Unido seriam 5,5 milhões de pessoas a utilizar a bicicletas nas suas deslocações regulares.

O ciclismo tem sido uma das poucas atividades ao ar livre permitidas durante o confinamento e isso tem levado a que muitas pessoas redescubram o prazer de se deslocarem em duas rodas. À medida que o país volta ao trabalho, o distanciamento social vai ser um enorme desafio para aqueles que anteriormente utilizavam transportes públicos nas horas de ponta.

Ann Ritchie-Cox
Director Geral - Shand Cycles

Este é um fenómeno global. Na Austrália, a Bicycle Network, a maior organização de ciclismo do país, registou um aumento de 270% na utilização de ciclovias em algumas cidades desde que a pandemia começou. À medida que os viajantes mudam para duas rodas, as cidades precisam de garantir segurança e conforto aos utilizadores - e a iluminação pode desempenhar um papel vital neste contexto.
 

Panorama da utilização da bicicleta e ciclovias em Portugal

Em Portugal a utilização da bicicleta como meio de deslocação ainda não é uma prática comum, mas o atual governo está apostado em mudar esta situação.

Aprovado em reunião do Conselho de Ministros, o programa ENMAC 2020-2030 prevê que ao longo da próxima década sejam implementadas mais de 50 medidas, no âmbito da promoção do uso da bicicleta, investimento na construção de ciclovias e aposta na mudança de hábitos dos portugueses.

Segundo o Ministério do Ambiente e da Transição Energética "Existem atualmente cerca de dois mil quilómetros construídos de ciclovia no país e o objetivo é atingir os 10 mil em 2030".

Ao nível escolar, uma população potencialmente utilizadora deste meio de transporte, uma medida importante e já em vigor desde o ano passado, é a inclusão das deslocações casa-escola e escola-casa no seguro escolar. Com esta medida, o Ministério da Educação pretende promover a saúde e a prática desportiva através de uma mobilidade ativa, contribuindo ao mesmo tempo para a melhoria da qualidade do ar e redução da poluição sonora com a diminuição da utilização de transportes motorizados

Com isto o Governo pretende aumentar as deslocações em bicicleta no território nacional de 1% para 7,5%, valor que corresponde à atual média europeia.

 

Numa Pista Própria

Mesmo antes da pandemia, as cidades estavam a encorajar a mudança modal para o ciclismo. É um treino diário com claros benefícios na saúde, poupa dinheiro, torna o ar da cidade mais agradável para respirar e é uma solução verdadeiramente amiga do ambiente e do planeta.

Quando as pessoas têm a opção de andar de bicicleta, ficam mais do que felizes por o fazer, mas precisam dos incentivos corretos. Isso significa estacionamento seguro para bicicletas, pistas para bicicletas segregadas e infraestruturas adequadas para tornar seguros os cruzamentos.

James Armstrong
Federação Europeia de Ciclistas

Quando se trata de mudar para o ciclismo, sentir-se seguro é tão importante como estar realmente seguro. A iluminação desempenha um papel enorme nisto, e isso é algo em que nos tornámos especialistas ao longo dos anos em que ajudámos cidades de todo o mundo não só a acomodar, mas também a encorajar ativamente a utilização da bicicleta.

Como Armstrong salienta, os cruzamentos podem ser um problema para aqueles que utilizam a bicicleta. Recomendamos iluminá-los com uma temperatura de cor diferente de forma a serem identificados previamente, para guiar os ciclistas e potencialmente reduzir o risco de acidentes. Por exemplo, uma luz branca fria pode chamar a atenção para os possíveis perigos que se avizinham, assegurando que as pessoas têm tempo para se prepararem antes de parar e/ou virar. Isto foi o que fizemos em Tilburg.

A contrasting light scheme improves visibility for cyclists at dangerous junctions in the city of Tilburg

Entretanto, uma iluminação clara ao longo do percurso pode permitir que os utentes da ciclovia reconheçam os rostos de outras pessoas à sua volta. Na noite mais escura, isto dá uma sensação acrescida de segurança, para que se sintam completamente à vontade - o que também significa que podem seguir o seu percurso em segurança, detetar marcas de estrada e ver claramente os obstáculos, durante todo o ano.
 

Pedalando em direção a um novo mundo

Como já vimos Portugal tem a ambição de construir 8.000Km de ciclovias nos próximos dez anos e isto repete-se por todo o mundo. Paris está a definir 50 km de novas pistas para ciclistas para ajudar na transferência modal, e algumas estradas como a emblemática Rue de Rivoli (que convertemos em iluminação LED economizadora de energia há alguns anos atrás) serão reservadas para peões e bicicletas, sendo que apenas os veículos autorizados poderão circular por ali.

Também a Ministra dos Transportes de Bruxelas, Elke Van den Brandt, anunciou que a cidade iria estabelecer 40 km de ciclovias: as pistas normalmente reservadas para carros e camiões em algumas avenidas principais só serão abertas a ciclistas. Rotas chave como a Rue de la Loi, Boulevard Géneral Jacques, Avenue de Tervuren e Avenue Louise farão a ligação entre si e formarão uma passagem segura para ciclistas que se dirijam para a capital a partir da Flandres e da Valónia.

Ainda há muitas cidades que estão a fazer estas mudanças numa base temporária, mas à medida que os habitantes da cidade se habituam a um ar mais limpo, ao som do canto dos pássaros e à ausência de engarrafamento, muitas delas podem tornar-se permanentes - que é onde entra a necessidade de investimento em infraestruturas. E embora as cidades globais estejam a expandir rapidamente a sua oferta, devem ainda assim investir na qualidade e sustentabilidade das suas ciclovias.
 

Deslocações globais, respostas locais

A segregação do tráfego automóvel atenua o medo de ser atingido e ferido por um carro: as autoridades municipais de Copenhaga acreditam que 15-20% mais pessoas são encorajadas a pedalar cada vez que abrem uma ciclovia dedicada. A iluminação pode incrementar esse efeito.

O nosso trabalho e compromisso ao longo dos anos com as autoridades locais de toda a Europa coloca a Schréder numa posição privilegiada para oferecer sistemas de iluminação que realmente levem as pessoas a trocar os seus carros pelas suas bicicletas. E as autoridades locais podem tirar partido de esquemas de iluminação inteligente com sensores para que as luzes possam ser diminuídas, ou mesmo desligadas quando ninguém as está a utilizar.

Por exemplo, o RAVeL (Réseau Autonome des Voies Lentes), na Bélgica, é uma rede de ciclovias que consiste em mais de 1.440 km de antigas linhas ferroviárias e vias de reboque de canais convertidas. A cidade de Thy-le-Château estava interessada em atrair viajantes, bem como turistas, utilizando estes caminhos, pelo que trabalhámos em conjunto para desenvolver uma solução de iluminação à medida.

Smart lighting system with sensors light up this bike path as users move ahead

Quando o sensor localizado no início do percurso RAVeL deteta pessoas, o sistema de controlo aumenta o nível de iluminação das primeiras 4 luminárias para 100%. Os sensores ao longo do percurso significam uma "bolha" de luz que acompanha os utilizadores ao longo do percurso, fornecendo o nível correto de iluminação. Quando não é detetado qualquer movimento durante 4 minutos, as luminárias são diminuídas em 70%. Isto faz com que as pessoas utilizem a ciclovia durante todo o ano e a qualquer hora - e também permitiu às autoridades locais reduzir a poluição luminosa e poupar energia.

Com a ameaça da pandemia presente, tudo isto mostra que a utilização da bicicleta poderia fazer uma enorme diferença para que as pessoas voltem ao trabalho - e mantê-las socialmente distantes, saudáveis e empenhadas no seu dia-a-dia. Do apoio às empresas locais, às ruas e ao ar mais limpo, a relação custo-benefício do investimento em ciclovias bem iluminadas é enorme.

A Schréder está pronta a ajudar a iluminar a sua viagem.

 

Sobre o escritor

Desde que entrou para a empresa como engenheiro mecânico em 1988, Jean-Luc desenvolveu uma vasta gama de luminárias de iluminação urbana, sempre empenhado em melhorar o design e a eficiência.
Tem viajado pelo mundo, trazendo uma mentalidade prática para oferecer a solução perfeita a clientes do mundo inteiro. Não há muito que ele não saiba sobre iluminação!

Ligue-se a Jean-Luc no LinkedIn